Rigoberta Menchú e Severn Cullis-Suzuki confirmam presença no Fórum Global de Sustentabilidade SWU

Rigoberta, líder indígena, é candidata à presidência da Guatemala e já ganhou o Prêmio Nobel da Paz; Severn esteve no Brasil aos 12 anos, quando fez um discurso enfático na Rio-92

.

São Paulo, 18 de agosto de 2011— Depois de confirmar a participação de grandes nomes da cena musical, como o cantor e compositor canadense Neil Young e o músico e ativista Bob Geldof, o 2º Fórum Global de Sustentabilidade SWU, que acontece entre os dias 12 e 14 de novembro na cidade paulista de Paulínia, anuncia a vinda de Rigoberta Menchú, Prêmio Nobel da Paz por sua campanha em defesa dos povos indígenas e atual candidata à presidência da Guatemala, e a canadense Severn Cullis-Suzuki, ativista ambiental. Esta última esteve no Brasil durante o Rio-92, há quase 20 anos, quando fez um discurso inflamado em defesa da sustentabilidade que ganhou repercussão mundial e lhe deu a fama de “a garota que calou o mundo por 60 minutos”. Rigoberta e Severn virão ao Brasil para compartilhar com o público as suas ideias e experiências em defesa dos direitos humanos e da sustentabilidade.

Depois de uma estreia bem-sucedida em 2010, com a participação de 29 palestrantes nacionais e internacionais, público in loco de 3.900 pessoas e audiência de mais de 500.00 views pelo portal SWU, o Fórum Global de Sustentabilidade SWU realiza este ano a sua segunda edição durante o SWU Music and Arts Festival.  Serão três dias de debates e discussões em torno de ideias, experiências e propostas para a sustentabilidade, contemplando os seus três pilares (social, ambiental e econômico). O Fórum acontece no teatro municipal de Paulínia, dentro da área onde será montado o festival SWU. O objetivo do encontro é fomentar debates em torno da sustentabilidade através do exemplo e da experiência de pessoas, empresas e organizações que já contribuem para um modo de vida mais sustentável – social, ambiental e economicamente –, mostrando que por meio de novas escolhas e práticas todos podemos, sim, fazer diferença.

A líder indígena guatemalteca Rigoberta Menchú foi Prêmio Nobel da Paz em 1992 por sua campanha em defesa dos direitos humanos, principalmente dos povos indígenas.  Ela é também Embaixadora da Boa-Vontade da UNESCO e vencedora do Prêmio Príncipe das Astúrias de Cooperação Internacional. Atualmente Rigoberta é candidata à presidência da Guatemala e, segundo as últimas pesquisas, está com 2,5% das intenções de votos. As eleições acontecem em setembro. Rigoberta luta para conseguir se tornar a primeira mulher a ocupar a presidência de seu país – e a terceira de origem indígena no mundo (depois do mexicano Benito Juárez e do boliviano Evo Morales). Ativista social por influência familiar, sempre reivindicou os direitos negados aos povos indígenas, denunciando a discriminação, racismo e exploração por eles sofridos. As principais bandeiras defendidas por Rigoberta são a paz, a desmilitarização e a justiça social em seu país, assim como o respeito pela natureza e a igualdade de direitos entre homens e mulheres.

Severn Suzuki este no Brasil em 1992, quando tinha apenas 12 anos de idade, para participar da 2ª Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento Humano, que ficou conhecida como Rio 92.  Veio com um grupo de amigos e em nome da ECO (Environmental Children´s Organization), fez um discurso enfático em defesa da sustentabilidade para uma platéia que reuniu mais de uma centena de delegados e chefes de Estado.  O vídeo desse discurso – (http://www.youtube.com/watch?v=uZsDliXzyAY) – ganhou repercussão internacional e ela ficou conhecida como “a garota que calou o mundo”. Quase vinte anos depois, Suzuki volta ao Brasil, agora como palestrante do Fórum Global de Sustentabilidade do SWU. Ela também já confirmou a presença no evento Rio+20, no Rio de Janeiro, em 2012. Desde criança, Suzuki atua como defensora dos direitos humanos e do meio ambiente. Ela acredita que, juntamente com os meios de comunicação, a ciência é importante instrumento para educação sobre as mudanças globais. Severn tem bacharelado em Ciência da Ecologia e Biologia Evolucionária, pela Universidade de Yale, mestrado em Etnoecologia, pela Universidade de Victoria, British Columbia.

 

Severn já trabalhou como palestrante, ativista ambiental, apresentadora de televisão e autora. Agora, ela faz parte da David Suzuki Foundation, uma ONG canadense que publica estudos científicos, reportagens, livros e notícias sobre os temas de pesca sustentável, mudanças climáticas e energias limpas. Suzuki também é membro da Haida Gwaiii Higher Education Society, organização que oferece estudo universitário aos moradores da ilha Haida Gwaii, e da fundação Spark for the Girls Action, também localizada no Canadá, que oferece desafios reais para que mais de 60.000 jovens desenvolvam algum projeto para um mundo melhor. Em 2012, além de vir para a Rio+20, também faz parte do grupo de 20 líderes do WE CANanada, do Earth Summit, que discursam a favor do desenvolvimento sustentável no mundo.

 

Além de Rigoberta Menchú e Severn Cullis-Suzuki, o 2º Fórum Global de Sustentabilidade terá a participação dos músicos Bob Geldof e Neil Young; o surfista e fundador da Waves For Water, John Rose; o diretor geral da Fundação Amazonas Sustentável, Virgílio Viana; o diretor de mobilização da Fundação SOS Mata Atlântica, Mario Mantovani; a ativista e diretora do estúdio de música Premises Studios, Julia Craik; o estudioso de mudanças climáticas Sérgio Besserman; a filha do músico Peter Gabriel e uma das criadoras do Voice Project, Anna Gabriel; a estilista americana Donna Karan; e William McDonough e Michael Braugart, da empresa de design sustentável Cradle to Cradle.

 

Imagens da Rigoberta: http://bit.ly/q1IP6U

 

Imagens da Severn: http://bit.ly/nlVEEq

 

Sobre o SWU

O SWU (Starts With You – Começa Com Você) é um movimento que convida a repensar atitudes, trazendo o debate sobre sustentabilidade para a esfera individual de ação – demonstrando como as nossas escolhas diárias podem contribuir para um mundo mais sustentável. Idealizado pelo Grupo Totalcom, de Eduardo Fischer, o movimento teve início em junho 2010 com uma plataforma de ações de comunicação e engajamento que teve como seu primeiro grande marco de celebração o SWU Music and Arts Festival.

Anúncios
por Jornal de Caruaru

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s