8ª Expoagro: leilões, venda de animais e produtos devem movimentar R$ 5 milhões no Parque do Cordeiro

A 8ª Expoagro – Exposição de Animais e Produtos Derivados acontece de 11 a 15 de abril, no Parque de Exposições do Cordeiro, a partir das 9h. O evento deverá movimentar cerca de R$ 5 milhões, entre venda de animais, produtos e a realização de dois leilões. Com entrada gratuita, a mostra receberá cerca de 50 mil visitantes.  A Expoagro é promovida pela Associação dos Criadores de Pernambuco (ACP), em parceria com o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária (SARA).

A abertura oficial da 8ª Expoagro será na quarta-feira (11), às 20h. Na ocasião, o secretário de Agricultura e Reforma Agrária, Ranilson Ramos, lançara o  Calendário de Eventos Agropecuários 2012. Considerada um evento técnico e de negócios, com julgamento e leilões de animais, a Expoagro reunirá cerca de mil animais geneticamente selecionados, entre cavalos, bovinos de leite e de corte, das raças gir, girolando, campolina, nelore, além de caprinos e ovinos.

LEILÕES – Na área de leilões, serão realizados dois eventos que devem gerar negócios da ordem de R$ 2 milhões. O 7ª Leilão Recife Show reprodutores e matrizes de ovinos e caprinos das raças santa inês, bôer e dorper de alta qualidade genética, na sexta-feira (13), no Tarttesall da ACP, no Parque de Exposição do Cordeiro. O 2º Leilão Parceiros de Raça reúne bovinso de corte e elite no sábado (14), na área de leilões instalada dentro do Parque de Exposições do Cordeiro.  Serão 40 lotes elite das raças nelore, gir, girolando e sindi e mais 500 bovinos de cria, recria e engorda.

CURSOS E EVENTOS
– Na quinta-feira (12), às 9h, o técnico da CNA, Bruno de Lucas, ministra palestra gratuita sobre a Instrução Normativa 57, que regulamenta a produção de queijos artesanais cru em todo o território nacional. Na sexta-feira (13), será realizada a palestra Divulgação da IN 62 do MAPA, capacitação voltada para produtores de leite (educação continuada), no auditório da Associação dos Criadores de Pernambuco.

JULGAMENTOS – Na pista de julgamento, na quarta-feira (11), tem início a admissão de animais, entre bovinos de corte, ovinos e caprinos. A tarde começa o julgamento da raça gir. Na quinta-feira (12), serão julgadas as raças nelore, mangalarga marchador, campolina além de caprinos e ovinos. Na sexta-feira (13), tem início o julgamento da raça sindi. No sábado (14), será a vez dos grandes campeonatos de caprinos e ovinos. O julgamento da raça manga-larga marchador encerra os julgamentos, no domingo (15 de abril). Todos os julgamentos são realizados das 8h às 12h e das 14h às 18h.

por Jornal de Caruaru

Presidente Dilma: na capa da Veja e nua na tribo

.

Entre as redes, os pontos de cultura, os intelectuais, artistas, ONGs, ambientalistas, os gays e umas quantas outras tribos a escolha da presidenta Dilma tem sido Ana de Hollanda, o ECAD, os ruralistas, as empreiteiras e o sistema financeiro

.

Por Ricardo Targino*

.

Publicado por Trezentos

 .

Desde a vitoriosa campanha eleitoral de Dilma Rousseff, o panorama das lutas políticas pelo mundo alterou-se substancialmente. Nos últimos meses, movimentos de enorme lastro em todo planeta articularam-se ao redor das redes. A partir da Praça Tahir, da Porta do Sol e do OccupyWallStreet, essa nova articulação global teve seu auge no dia 15 de outubro, com grandes manifestações que derivaram em vários acampamentos em importantes cidades do mundo, naquela que foi a maior manifestação conjunta da história da humanidade: mais de 870 cidades ao redor do globo aderiram ao protesto.

Neste momento, um novo chamado varre as redes sociais: um nova mobilização global no dia 12 de maio. Nos EUA, a primavera promete ser de novas e grandes manifestações situando a disputa política no coração do capitalismo financeiro internacional. O OccupyWallStreet já vem fazendo o que chamam de ‘spring training’ e as eleições presidenciais tendem a tornar mais significativos os protestos. Por lá, é grande o esgotamento do modelo bipartidarista. Aos olhos nus, a cena política institucional americana está dominada pelo lobby das grandes corporações e a distância entre a política oficial e o cidadão comum é imensa. Diante da crise, o discurso dos ativistas do OcuppyWallStreet tem enorme impacto e as ações crescem. É por isso que vem recaindo sobre estes protestos uma violência policial cada vez mais desproporcional, a tal ponto que em NY diversos conselheiros do governo local passaram publicamente a fazer críticas ao Departamento de Polícia e a exigir as garantias constitucionais do livre exercício do direito de assembleia e reunião. Na Espanha, a primavera recomeçou com greve geral e mais de um milhão nas ruas. Em Portugal a dura repressão só fez crescer a organização do movimento. E o calor dos protestos ganha o planeta inteiro.

Aqui no Brasil, um setor importante do ativismo que vinha se articulando desde os governos Lula passou a atuar de modo mais organizado justamente na dura campanha travada nas redes pela eleição de Dilma Rousseff. Blogueiros, artistas, produtores de cultura, líderes comunitários, gente da comunicação e do direito, do movimento de saúde pública, ONGeiros de todo tipo, ambientalistas, LGBT’s, galera da bike e do skate, tribos diversas com um ponto de encontro comum: a internet. As redes tornaram-se uma das mais ativas arenas do debate e da ação política também no Brasil. Aqui elas ainda possibilitaram duas coisas realmente novidosas na idiossincrasia nacional: tanto uma afirmação da diferença (e o respeito ao Outro que ela obriga), como o surgimento de novas condições para o exercício cada vez mais prático da cidadania (em sua acepção mais republicana, no sentido da participação nos rumos da vida imediata). Convém lembrar que toda articulação política que venha no sentido de combater privilégios e preconceitos, provocando a ampliação do espaço do exercício do poder, constitui um avanço de nossa sociedade rumo à plena democracia. São inúmeros os movimentos organizados que já atuam de modo diferenciado, funcionam como redes, espalham informação, compartilham posições, preparam-se para agir. Diante da decadência dos partidos e do descrédito na via institucional da política, estes movimentos têm-se apresentado como uma alternativa concreta de ação. Isso prova que a cultura digital é também uma nova cultura política. Uma cultura política erguida horizontalmente.

Pós-Lula

O Brasil pós-Lula é um país conectado na novidade e nutrido do desejo permanente de ser outro. Aqui, ser outro sempre significou sermos cada vez mais parecidos com quem nós realmente somos. Outro Brasil. O lulismo bebeu justamente na fonte desse imaginário. Sua força, super pop, reside na dimensão da possibilidade real de mudança. Do país condenado ao atraso, do balneário das corruptas e servis elites nacionais, passamos a viver no Brasil do imaginário lulista que é muito mais parecido com o que ele realmente é: uma fábrica de esperanças.

Durantes estes 15 meses de governo Dilma Rousseff, entretanto, os ‘trend topics’ da cena política tem causado constrangimentos e mostrado a enorme distância entre Brasília e o Brasil das redes e do ativismo. No campo dos direitos civis, avanços substanciais vindouros do STF, como o reconhecimento da união gay e do direito de manifestação no caso da Marcha da Maconha certamente ampliam as garantias democráticas. O gesto do STF, porém, viu-se acompanhado pela articulação de lobby’s do tipo evangélico e o homofóbico que tem atuado para impedir que mais políticas democráticas possam ser implementadas. Diante da agenda dos direitos LGBT’s, o governo Dilma tem cedido ao lobby conservador ao ponto do movimento ter recentemente declarada inimiga da causa gay a Presidenta da República. O mesmo vem ocorrendo em relação à agenda ambiental. Na queda de braço entre a sustentabilidade e o modelo predatório do crescimento que pretendem as grandes corporações, empreiteiras, ruralistas e agro-especuladores, os setores conservadores também têm obtido vitórias. O constrangimento nas redes em relação ao código florestal e à construção de Belo Monte ainda não provocou nenhuma sinalização clara do governo apesar da enorme discussão que tem levantado. Dentre os demais ‘trend topics’ da política, há ainda temas como o marco regulatório da mídia e o plano de banda larga, ambos marcados pela lentidão ou pela hegemonia do poder econômico das corporações que têm tentado frear o estabelecimento de políticas públicas mais que necessárias. No caso do marco regulatório da comunicação, os passos dados para o início de uma consulta pública só aconteceram pela determinação da sociedade civil organizada, com o governo a reboque. No caso do Plano Nacional de Banda Larga, o projeto tornou-se uma dupla carroça: pelo serviço que oferece e pela lentidão na implantação do programa. Ao não entender que internet e banda larga são infraestrutura necessária ao desenvolvimento, o governo vacila até mesmo no projeto de aceleração do crescimento econômico.

É cada vez mais amplo o setor do lulismo e do petismo que já reconhece uma distância enorme entre a gestão de Dilma e os anos de governo Lula. Surgem temores de que o medo ou a força do dinheiro tenham vencido a esperança e deixem deserta a defesa do legado de Dilma diante de um novo embate eleitoral.

Quem sustenta Ana de Hollanda?

Há um elemento chave para pensarmos o governo Dilma afim de melhor compreendê-lo: a crise sistemática e estrutural do Ministério da Cultura. A cultura tornou-se elemento central de valor no capitalismo contemporâneo. Muitos pretendem isentar Dilma das responsabilidades pela mudança de rumo do MinC, alegando o tradicional descaso dos políticos em relação à cultura. Não parece ser o caso de Dilma. Nos dois governos Lula, o MinC tornou-se vanguarda mundial no que toca ao desenvolvimento de arrojadas políticas para resituar a questão do direito autoral frente ao modelo proprietário e fordista que representava um entrave à lógica do compartilhamento e da universalização do acesso ao conhecimento que nortearam o MinC de Gil e Juca. Daí vem a questão: o recuo do MinC para políticas proprietárias que operam com um conceito de cultura do século XIX não seria política de governo endossada por Dilma? Os mais diversos governos do mundo, sob o argumento de garantir os direitos de autor, dentro da lógica anacrônica (ana-lógica) das corporações, tem feito esforço no sentido de impor restrições à internet e ao compartilhamento. O Brasil vinha se destacando no cenário internacional justamente por apresentar uma política muito mais condizente com as condições atuais do intercâmbio da produção simbólica e, principalmente, por tentar responder ao seu enorme déficit interno de distribuição dos bens culturais e universalização do acesso ao conhecimento.

Para entender a crise do MinC é importante relembrar algo: Gil e Juca, durante os dois governos Lula, modificaram a lógica desse ministério. Onde antes havia um balcão, criou-se uma ferramenta de mudança. Onde antes os recursos se concentravam em poucas mãos passou-se a compartilhá-los entre o maior número possível de agentes. E a injeção não foi apenas de dinheiro. Seu caldo de cultivo é super fértil: surgiram novos sujeitos do processo político brasileiro. São eles que vêm chegando ao centro da cena e impondo o embate com a Ministra. Gente exercendo cada vez mais plena participação cidadã. Senhores de seu poder político local e global, um enxame enorme que vai dos mestres de cultura popular aos hackers.

Dilma elegeu-se no discurso da continuidade. Gravou vídeos comprometendo-se, por exemplo, com a continuidade e ampliação dos Pontos de Cultura de Lula. Enquanto o MinC, por política do Planalto, vem destinando milhões para as Praças do PAC, endereçando dinheiro às empreiteiras (como se o Brasil precisasse mais desse tipo de infraestrutura que de equipamento humano) o Programa Cultura Viva vem sendo liquidado na asfixia orçamentária. Enquanto se implanta pela América Latina afora, aqui os Pontos de Cultura são uma das maiores vítimas da gestão da filha de Sérgio Buarque de Hollanda, quem certamente lhe teria já feito um duro puxão de orelha. Dilma, entretanto, sustenta Ana e a mudança de rumo do MinC. Porque, Presidenta?

Para mostrar-se pouco sensível com os milhares que aderiram aos diversos manifestos pedindo correção de rumos no MinC? Para ser inflexível com os intelectuais, gente como Marilena Chauí? Ou para dar-nos o recado de que este NÃO É nosso governo?

O que se passa no Ministério da Cultura não é fofoca ou má-fé, como quer fazer entender a ministra. Ali há um estelionato eleitoral! Apesar do compromisso eleitoral de Dilma, pratica-se uma política de ruptura com o MinC de Lula. O constrangimento para um homem como Juca Ferreira ter que vir a público advertir do retrocesso é muito grande para o próprio ex-ministro, para o seu governo e para seu partido! Mas Dilma parece determinada a não ceder a esta pressão! A mesma Dilma que tem cedido aos evangélicos, aos ruralistas, às pressões de acomodação política da base do governo no Congresso. Mas ceder à sociedade, por quê?

Há ainda as suspeitas relações entre o ECAD e MinC de Ana de Hollanda. É gravíssimo que se confirme que o ECAD opera no Ministério e muito mais grave seria descobrir que o ECAD tem entrada na Casa Civil ou no Palácio do Planalto.

Aos agentes da cultura e suas redes lhes resta o recurso dos manifestos e cartas abertas. Vimos muito disso nestes 15 meses sem qualquer sinalização do Planalto. Os setores mais poderosos desta disputa, o ECAD, as majors da indústria cultural e os coronéis da velha pirâmide da produção artística também exercem sua pressão pela manutenção da ministra e de sua política. Alguns deles inclusive têm vindo à público manifestar seu apoio. José Neumane Pinto, por exemplo, recentemente publicou no Estadão uma defesa de Ana de Hollanda. O mesmo Neumane que afirmou: “Lula conseguiu colocar no lugar dele quem ele quis, um poste (Dilma), que ele pode manipular da maneira dele.”

Não é por acaso que ao redor da defesa do MinC atual se reúnam setores da sociedade que se opunham a Lula e ao projeto encabeçado por ele. Foram estes setores que ganharam espaço no Governo Dilma. Setores dos quais o projeto estratégico do PT torna-se cada vez mais dependente. Setores que se utilizam do lobby para a pressão política. Convém lembrar que como denunciam os movimentos globais o lobby é espaço propício para os cartéis e quadrilhas que se servindo do tráfico de influência garantem a hegemonia de suas posições, seus privilégios e seu lucro. Boa parte destes setores há bem pouco tempo atrás eram vistos pelo próprio PT como representantes do ‘atraso’ e do ‘complexo de vira-latas’.

Entre as redes, os pontos de cultura, os intelectuais, artistas, ONGs, ambientalistas, os gays e umas quantas outras tribos a escolha da presidenta Dilma tem sido Ana de Hollanda, o ECAD, os ruralistas, as empreiteiras e o sistema financeiro. Até o movimento sindical, berço do PT, aumenta as críticas ao governo. Na sistemática crise do MinC, Dilma ratificou sua escolha seguidas vezes e agora contra setores históricos do PT, medalhões da talha de Marilena Chauí. Mas o Brasil votou pela continuidade de um projeto. Elegemos o projeto de reforma democrática. Elegemos ser cada vez mais parecidos com quem nós realmente somos. E isso ninguém poderá modificar facilmente sem que o Brasil reaja.

Os 99%

Os vídeos que circulam pela internet convocando os protestos globais do dia 12 de maio trazem a imagem de Dilma que aparece na edição junto a outros chefes de governo de importantes economias do planeta. O ativismo global bota o dedo na ferida: o governo federal tem assumido cada vez mais a cara que vimos estampada na capa da Veja. No governo Dilma, para as redes sociais e para os setores da cultura, o projeto popular vem perdendo o espaço conquistado com Lula. Sem o toque de Midas do ex-presidente, e sem seu grande carisma, os gestos de Dilma frente às tantas agendas da rede vão distanciando setores que fizeram uma corajosa campanha por sua eleição… A decepção ganha força e corre o risco de transformar-se em antipatia rapidamente.

Oito anos de governo popular e uma eleição vitoriosa nos permitiram o acúmulo de forças. Lula gosta de agradar as maiorias. Dilma, entretanto, parece determinada a atender os “petit comité”. Quanto a nós? Nós somos os 99%. A pergunta deste momento histórico em todo o planeta é justamente essa: até quando o 1% seguirá dando as cartas? No Brasil podemos nos perguntar: estaria o governo Dilma se tornando uma virada de mesa do 1% que pretende retomar o terreno perdido nos avanços democráticos da Era Lula?

O motor da luta política no Brasil, seus inúmeros ativistas e militantes, cibernéticos ou old style, construíram seu imaginário no afeto com Lula. Lula-Macunaíma! Nos Estados Unidos, o novo ativismo também tem ainda laços afetivos com Obama. Obama o primeiro negro, Lula o primeiro operário e Dilma a primeira mulher. No discurso de todos: mudança. Mas até a noção de mudança se altera quando realidade se impõe. As praças e acampamentos da aldeia global vêm dando o recado: não basta falar, é preciso SER a mudança.

É por isso que aqui no Brasil, onde a metamorfose é vocação natural, o cenário político também pode ser alterado rapidamente. Somos o imponderável, como as redes e seus fenômenos. Essa imponderabilidade enorme, essa deriva, o estar entre a “delícia e a desgraça”, pode nos fazer esperar as eleições para impor questionamentos, apontar as rupturas de confiança e articular as alternativas, mas pode também adiantar nas ruas o embate político, reconfigurar o campo da disputa democrática à velocidade dos megabytes. Vem sendo assim em diversas primaveras pela aldeia global. Foi assim inclusive frente a governos de cores mais avermelhadas, como os socialistas espanhóis com sua posterior derrota nas urnas, ou com o próprio governo Obama obrigado a responder às ruas de Manhattan e seus ecos por todo o país.

Para nossa alegria a decisão mais importante expressa pelo Brasil na eleição de Dilma é que nós estamos decididos a ser ‘Outro Brasil’. Seja lá que opção Dilma faça, quer corrija rumo e marche junto com os setores mais progressistas ou quer opte pelas cartas dadas pelo 1%, a opção do Brasil já foi feita: nós seremos cada vez mais parecidos com aquilo que somos. Seremos o país que já decidimos ser. Avançaremos com as reformas democráticas e com a ampliação da democracia com ou sem o clima favorável no governo, com ou sem o PT, tendo um Ministério da Cultura articulado nas políticas inovadoras ou paralisado no despreparo e na retaguarda política.

Avançaremos porque somos os 99%. Porque somos legião. Já não esperamos pela mudança. Fazemos a mudança. Somos a mudança. E não esquecemos.

Somos um enxame que para erguer sua doce colmeia de sonhos faz um barulho enorme. E este barulho se agiganta!

.

*Ricardo Targino é cineasta e ativista dos movimentos de cultura e comunicação. Foi coordenador-geral da ENECOS (Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação Social). Dirigiu o premiado curta Ensolarado e prepara para o próximo mês as filmagens de Quase Samba, sua estreia na ficção de longa-metragem. Esteve nos últimos meses em NY acompanhando as atividades do OccupyWallStreet.

por Jornal de Caruaru

FAFICA RECEBE O MAIS IMPORTANTE PRÊMIO DA ÁREA CONTÁBIL

.

 

A Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Caruaru(FAFICA) recebeu, na noite de quinta-feira (29), o troféu “O Caduceu”, que é a mais importante premiação da área contábil. O prêmio, instituído pelo Conselho Regional de Contabilidade em Pernambuco (CRC-PE), foi concedido para o curso de Ciências Contábeis da FAFICA depois de serem considerados o bom conceito do curso na avaliação do MEC, seu tempo de funcionamento e a longevidade da instituição de ensino superior.

 

“Nós que formamos a FAFICA, nos sentimos reconhecidos e agraciados com esse prêmio“O Caduceu”, com essa  expressão simbólica da categoria contábil. A FAFICA se sente reconhecida, porque foi e tem sido uma instituição de ensino superior pioneira, entre outras iniciativas, pela criação do curso de Ciências Contábeis em uma cidade do interior, quando toda a formação estava restrita a metrópole”, discursou padre Everaldo Fernandes, reforçando que além de seu pioneirismo, a FAFICA  não se exime, mesmo não sendo uma universidade, de sua tarefa de fazer uma articulação, uma íntima relação entre ensino, pesquisa e extensão.

 

“Os trabalhos publicados por nossos alunos, tanto no Sul e Sudeste, como em eventos regionais têm contribuído com a produção do conhecimento contábil. Também é da nossa atenção, do nosso olhar, as novas demandas em termos de mercado, mais do que isso, em termos de necessidades e de vocações regionais. Em que de fato nós podemos contribuir, podemos somar? Quando escutava a proposta de trabalho do novo presidente do CRC-PE fiquei bastante alegre por seu olhar múltiplo e sistêmico, dizendo a nossa atividade é mais do que cobrar impostos. A nossa atividade é olhar do macro  ao micro. É olhar do global, a toda essa demanda, a toda essa movimentação local, não somente nos números, mas também nas questões ambientais”, observou o diretor da FAFICA, que concluiu o seu discurso reiterando o compromisso e a responsabilidade social da FAFICA de “formar profissionais  competentes do ponto de vista técnico,  críticos do ponto de vista social e responsáveis do ponto de vista ambiental e da solidariedade humana”.

 

A FAFICA foi a única instituição de ensino superior a receber o prêmio, este ano, e essa é a primeira vez que uma instituição de ensino superior do interior do Estado recebe o prêmio “O Caduceu”. Para o presidente da Associação Diocesana de Ensino e Cultura de Caruaru, Dom Bernardino Marchió o prêmio representa um ganho não só para a FAFICA, mas para Caruaru e região. “Esse prêmio significa e confirma a seriedade da nossa instituição. A FAFICA é uma referência e esse prêmio, tão importante, é um ganho para toda a região”, disse D. Bernardino Marchió.

Agraciados – Além da FAFICA, o Conselho Regional de Contabilidade em Pernambuco fez uma homenagem especial ao governador de Pernambuco, Eduardo Campos e agraciou quatro profissionais da área contábil: a presidente da Associação das Empresas de Serviços Contábeis,  Alba Rosa Nunes Ananias; o primeiro presidente da Associação de Contabilistas de Caruaru e Agreste de Pernambuco, Edson de Melo; o professor da Universidade Federal de Pernambuco, José Francisco Ribeiro Filho (In Memoriam) e o presidente da Academia Pernambucana de Ciências Contábeis, Geraldo Queirós.

Um dos agraciados, o contador Edson de Melo fez questão de destacar, durante seu discurso, a satisfação que sentia, sendo caruaruense, de ter a FAFICA como instituição homenageada pelo CRC-PE. “A FAFICA merece esse prêmio por seus serviços prestados ao Estado”, reiterou Edson de Melo.

Prêmio – Criado em 2004, o “O Caduceu” tem como objetivo homenagear profissionais da contabilidade, entidades de classe contábeis e instituições de ensino superior que “contribuíram diretamente com o fortalecimento da identidade do profissional da área contábil e com a manutenção de um constante processo evolutivo no cenário contábil pernambucano”.

 

A entrega do prêmio “O Caduceu” aconteceu no Buffet Arcádia do Paço Alfândega, no Centro do Recife, durante as comemorações dos 65 anos do CRC-PE. Estiveram presentes à solenidade: o presidente da Associação Diocesana de Ensino e Cultura de Caruaru, Dom Bernardino Marchió; o diretor da FAFICA, padre Everaldo Fernandes da Silva; a coordenadora pedagógica da FAFICA, Delma Evaneide Silva; a coordenadora do curso de Ciências Contábeis, Magna Lima e o procurador institucional da Faculdade, Gilvan Tavares Grangeiro.

por Jornal de Caruaru

Expoalagoas Genética proporciona boas oportunidades de negócios

.

A segunda maior exposição agropecuária de Alagoas, a Expoalagoas Genética, tem como objetivo auxiliar no escoamento da produção do estado, que costumava não ter movimentação nesse período do ano.

Para isso, além dos criadores alagoano, visitantes de outros estados virão prestigiar o evento e, é claro, fechar negócios. A terceira edição do projeto trará diversas atrações. Animais das raças Nelore, Santa Inês e Dorper participarão da exposição, além de outros importantes eventos paralelos, que tem como objetivo discutir a cadeia produtiva agropecuária.

 O número de remates, por exemplo, está aumentando. Este ano serão cinco leilões promovidos por tradicionais criadores alagoanos: 2° Dorper Alagoas, 7° Nelore União, 7° Vaquejada e Trabalho, 7° Terra dos Caetés e uma novidade, o 1° Leilão Genética Barros Correia. “Antes, o mercado só ficava movimentado no final do ano, com a realização da Expoagro. Agora, esse evento proporciona a oportunidade de grandes negócios nesse período, tornando o ano inteiro produtivo”, explicou Domício Silva, presidente da Associação dos Criadores de Alagoas (ACA).

 Entre as atrações da Expoalagoas Genética 2012 está a etapa Norte-Nordeste do Campeonato Brasileiro de Hipismo, realizada em Alagoas, que vai atrair atletas de todo o país. “Essa é uma boa oportunidade do público ter acesso a uma competição desse porte. Alagoas tem promessas para o esporte e investe bastante nesse seguimento”, disse Domício.

 Discutindo a cadeia produtiva, entre 18 e 21 de abril, ocorrerá também o 8° Congresso Brasileiro do Santa Inês, voltado ao desenvolvimento genético e sanitário da raça, que tem apresentado ótimo crescimento em Alagoas. A Expoalagoas será de 17 a 22 de abril, no Parque José da Silva Nogueira (Parque da Pecuária), em Maceió.

por Jornal de Caruaru

Votação popular escolhe as dez finalistas do concurso Bis pro Rock 2

.

Já está no www.bisprorock.com.br a lista das dez bandas finalistas do Bis pro Rock 2. Os grupos foram eleitos por votação popular, que encerrou no dia 27.

Agora é a vez do júri formado pelo criador e produtor do Abril pro Rock, Paulo André Pires; do músico Roger, da banda Ultrage a Rigor; do China, do Na Brasa MTV; e do guitarrista e fundador do Sepultura, Andreas Kisser escolherem as três finalistas. Os nomes serão anunciados no dia 31. A grande final, com transmissão ao vivo pelo hotsite, será no dia 9.

As dez mais votadas foram: Somato (Florianópolis, Santa Catarina (SC)), Bandas Digitais (PE), UR7 (PE), Doutor Júpiter (SP), Absinto Muito (MG), Kalouv (PE), F292 (RJ), Pracaniz (SP), Sonicbirds (PE) e Mafiota (PB).

Para conhecer mais sobre as bandas que permanecem na disputa, basta acessar o hotsite. Lá, o internauta poderá saber sobre o perfil dos grupos e ouvir as músicas que conquistaram o público na web. A banda com a melhor performance eleita pelo júri abrirá o show dos Los Hermanos na primeira noite do Abril pro Rock.

CONCURSO – Pela segunda vez, a marca de chocolate Bis realiza um concurso nacional onde será selecionada uma banda para abrir o show de Los Hermanos no Abril pro Rock, dia 20 de abril, no Chevrolet Hall, em Recife – PE – o festival segue até o dia 22. Os vencedores terão direito a hotel, camarim e viagem, além de 20 horas de gravação em estúdio e cachê pela apresentação.

por Jornal de Caruaru

Piloto faz ‘zerinho’ empinando moto e conquista recorde brasileiro

.

Através da manobra conhecida como ‘zerinho’, o piloto profissional de Wheeling (acrobacias radicais sobre moto), Halley de Amorim, conquistou o recorde brasileiro de Maior número de voltas empinando uma moto.

 

Mostrando habilidade e muito equilíbrio, ele atingiu a marca de 19 voltas no tempo de 32,48  segundos. O desafio foi realizado durante o Recife Duas Rodas – Feira de Motos, Bikes e Acessórios, no Centro de Convenções de Pernambuco.

por Jornal de Caruaru

Atenção: 24 e 25 de abril / Cirurgias infantis gratuitas – Operação Sorriso

.

Triagem e intervenções para corrigir fissuras labiopalatinas serão realizadas nos dias 24 e 25 de abril

 

Operação Sorriso crédito Sílvio Romero

       Nos dias 24 e 25 de abril, a ONG Operação Sorriso realizará um programa humanitário em Fortaleza, oferecendo cerca de 100 vagas para cirurgias corretivas gratuitas em crianças portadoras de fissuras labiopalatinas (conhecidas também como lábio lascado ou goela de lobo). A seleção dos pacientes será realizada na Sede da Associação Beija-Flor (Av. Alberto Craveiro, 2.222 – Bairro Castelão – Fortaleza-CE), a partir das 8h. Já as cirurgias serão feitas no Hospital Infantil Albert Sabin (Rua Tertuliano Sales, 544 – Vila União – Fortaleza).

Para participar não é necessário fazer pré-inscrição, apenas comparecer ao local nos dias indicados levando documentos. Pacientes e mais uma familiar que residam fora do município podem solicitar no dia por hospedagem gratuita. A ONG oferece também transporte até o hospital e alimentação sem custo.  “A preocupação da Operação Sorriso no mundo inteiro está em realizar um programa humanitário com qualidade. Vamos receber pessoas que precisam de ajuda e queremos que se sintam acolhidas. Para isso, montamos uma grande estrutura de recepção aos pacientes e seus familiares, onde contamos com a Marinha do Brasil no apoio à logística e alojamento”, explica Clóvis Brito, diretor executivo da OSB.

Ao todo, cerca de 60 voluntários estarão envolvidos na missão em Fortaleza. Os colaboradores pertencem a diferentes especialidades como cirurgia plástica, enfermagem, anestesia, psicologia, ortodontia, fonoaudiologia, pediatria etc. “A ideia é operar e capacitar centros locais. As crianças que não forem atendidas serão encaminhadas para o serviço local, atingindo a população com resultados mais permanentes”, enfatiza Luciana Glaser, coordenadora Nacional de Programas da OSB.

Os profissionais de saúde responsáveis são especializados em fissura labiopalatina e coordenados pela equipe da Operação Sorriso. “O processo de credenciamento dos voluntários é coordenado pelo Conselho Multidisciplinar de Saúde da Operação Sorriso, visando garantir que tenhamos um time altamente especializado. Parte importante do nosso trabalho é o investimento no treinamento e na capacitação dos profissionais de Saúde. Buscamos a sustentabilidade local no atendimento ao paciente fissurado, principalmente nas regiões de grande demanda”, explica o Dr. Nivaldo Alonso, voluntário da Operação Sorriso e coordenador do Centro de Cirurgias Crânio-Faciais da USP, reforçando que os interessados em participar podem preencher cadastro no site da OSB.

Doações para as pessoas de outros municípios

Quem quiser ajudar também pode doar alimentos e produtos de higiene e limpeza e roupas de cama e banho que serão direcionados ao atendimento das pessoas vindas de outros municípios. Os materiais mais solicitados são açúcar, aveia, biscoito doce ou salgado, café, mingau, iogurte, leite, maisena, achocolatado em pó, sucos, gelatina, água sanitária, bacias, baldes, esponjas, detergente de louça, copo descartável, creme dental, escova de dente, desodorante, guardanapos, lixeiras, papel higiênico, panos de chão e de prato, sabão, sabonete e sacos plásticos. As doações podem ser encaminhadas à Associação Beija-Flor, (Av. Alberto Craveiro, 2.222 – Bairro Castelão – Fortaleza-CE) .

Além da Marinha do Brasil, o projeto é realizado em parceria com Governo do Estado do Ceará/Secretaria de Saúde, Associação Beija-flor, Hospital Infantil Albert Sabin, Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Associação Brasileira de Cirurgia Crânio-Maxilo-Facial, Lar Amigos de Jesus, Comitê de Combate a Fome pela Vida (COEP), Colgate-Palmolive, ETHICON, Johnson & Johnson, F/NAZCA SAATCHI & SAATCHI.

O que é fissura labiopalatina?

 

         O lábio fissurado, ou fenda palatina, é uma abertura no lábio, palato ou tecido mole da parte posterior da boca. A causa exata desse problema ainda é desconhecida, mas esse é um problema congênito em uma etapa inicial do desenvolvimento do embrião.

         As consequências da fissura labiopalatal na vida de uma criança vão além da estética e podem causar problemas auditivos, infecções crônicas, má nutrição, má formação da dentição e dificuldades no desenvolvimento da fala. Frequentemente observa-se o abandono escolar e a baixa da autoestima, ocasionando também problemas psicológicos.

         A cirurgia é relativamente rápida. Em média, uma cirurgia no lábio tem duração média de 45 minutos e, na manhã após a cirurgia, o paciente já está liberado para retornar para casa.

Sobre a Operação Sorriso

 

A Operação Sorriso é a maior organização mundial dedicada exclusivamente a crianças portadoras deformidades faciais, com atuação em 60 países, e mais de 200.000 crianças operadas. No Brasil, as ações tiveram início em 1997 e já foram realizados mais de 73.000 exames e avaliações especializadas e mais de 5 mil cirurgias em 10 estados brasileiros. Estes atendimentos refletem milhares de histórias de superação, dedicação e amor ao próximo.

Em 2011 foram realizados mais de 4 mil exames multidisciplinares especializados para crianças das regiões Norte, Nordeste e Sudeste do país, sendo realizadas 339 cirurgias e 10 programas pós-operatórios, devolvendo a dignidade, funcionalidade e autoestima para 471 crianças. Também foram realizados três programas de treinamento para 88 profissionais de saúde dessas regiões.

A organização atua de forma independente e transparente, mantendo completa responsabilidade na coordenação dos programas, levantamento de fundos e estabelecimento de acordos com instituições e empresas parceiras. Não há financiamento governamental e os balanços financeiros estão disponíveis no site.

        Para mais informações sobre a Operação Sorriso do Brasil e sobre o programa médico-humanitário, acesse: http://www.operacaosorriso.org.br.

  

SERVIÇO:

Dias de seleção dos pacientes:  24 e 25 de abril de 2012

Local: Sede da Associação Beija-Flor (Av. Alberto Craveiro, 2.222 – Bairro Castelão – Fortaleza-CE)

Horário: a partir das 8h.

Datas das cirurgias: de 28 de abril a 2 de maio de 2012.

Local: Hospital Infantil Albert Sabin (Rua Tertuliano Sales, 544 – Vila União – Fortaleza).

Obs.: Não é necessário fazer pré-inscrição para pleitear a cirurgia, apenas comparecer ao local informado acima no dia da triagem dos pacientes.

por Jornal de Caruaru

Armando vota a favor de financiamento de US$ 500 milhões para Pernambuco

.

Membro titular da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), o senador Armando Monteiro votou favoravelmente à liberação de financiamento de US$ 500 milhões do Banco Mundial (Bird) para investimentos em Pernambuco, conforme antecipou ontem ao governador Eduardo Campos, durante encontro no Senado.

Na sessão da CAE que aprovou o financiamento na manhã desta quarta-feira (28), Armando destacou a postura proativa do governador Eduardo Campos elogiando a política fiscal de sua gestão.

“Quero destacar a forma diligente e proativa do governador Eduardo Campos, que tem atuado na defesa dos interesses de Pernambuco, sobretudo ampliando as fontes de financiamento do estado, sem por em risco o equilíbrio fiscal. Devo destacar que hoje Pernambuco é considerado um dos estados com melhor perfil de endividamento no Brasil. Tudo isso mercê de uma gestão fiscal zelosa e responsável que tem sido a marca do governo de Eduardo Campos. Um governo que em um só tempo é empreendedor e ao mesmo tempo prudente na gestão dos recursos do Estado”, destacou.

Armando lembrou que o financiamento obtido por Pernambuco será aplicado em projetos estratégicos para o Estado. “Essa medida vai proporcionar que o governo faça investimentos importantes – seja no reforço da infraestrutura social, através das UPAs, seja através do plano viário da malha do Estado”, ressaltou. Outra área importante, lembra, é a de ampliação do número de escolas técnicas no Estado.

O projeto de financiamento de US$ 500 milhões do Bird segue agora para votação em plenário.

por Jornal de Caruaru

Deputado Júlio Cavalcanti quer incluir o Parque Nacional do Catimbau no Circuito da Copa em 2014

.

Durante visita, na manhã desta quarta-feira(28), da Comissão de Esportes e Lazer da Assembléia Legislativa ao secretário estadual de Turismo, Alberto Feitosa, para tratar de questões referentes a Copa do Mundo de 2014, o deputado estadual Júlio Cavalcanti (PTB), vice-presidente da Comissão, buscou apoio do governo do Estado para promover melhorias no segundo maior parque arqueológico do Brasil, o  Parque Nacional do Catimbau, que está localizado no Sertão do Estado.

Com uma rica fauna e flora, paredões de arenito e  formações rochosas esculpidas pela ação erosiva do vento, o Parque Nacional do Catimbau guarda um valioso tesouro: os inúmeros sítios arqueológicos, onde podem ser encontradas as pinturas e gravuras rupestres, principalmente, nos abrigos rochosos das serras.

“Apesar dessa vasta riqueza histórica, cultural e natural, o Parque Nacional do Catimbau enfrenta problemas relacionados à desapropriação da área e a gestão do local. Até o momento não foi elaborado o plano de manejo do Parque, bem como, não foi implantado o seu conselho gestor”, destacou o deputado,  afirmando que essas restrições têm impedido que o Parque do Catimbau seja um pólo de ecoturismo no Estado.

Em um pronunciamento na Assembléia, após a visita, Júlio Cavalcanti destacou que o Parque Nacional do Catimbau pode e deve ser um grande atrativo ecoturístico para os milhares de turistas que virão em 2014 para o nosso Estado. “Faz parte de nossa luta a preservação do parque e a sua revitalização. Por isso, não medimos esforços nessa articulação junto ao governo do Estado e também, em âmbito federal, junto ao senador Armando Monteiro.

Sobre o Parque – O Parque Nacional do Catimbau foi criado por decreto federal em 13 de dezembro de 2002. Com uma área de aproximadamente 62.000 mil hectares, o Parque está situado nos municípios de Buíque, Ibimirim e Tupanatinga.

O objetivo básico da criação do Parque do Catimbau foi a preservação de ecossistemas naturais, o que hoje possibilita a realização de pesquisas científicas, o desenvolvimento de atividades de educação ambiental e o turismo ecológico. No Catimbau são conhecidas mais de 150 espécies de aves.

Na visita ao secretário estadual de Turismo, Alberto Feitosa estiveram presentes, além do deputado Júlio Cavalcanti(PTB), os deputados Vinicius Labanca(PSB), Claudiano Filho(PSDB) e Leonardo Dias(PSB).

por Jornal de Caruaru

Na Alepe, secretário da Educação diz efetivar Lei da Responsabilidade Educacional em abril

.

Em audiência pública sobre o cumprimento da Lei da Responsabilidade Educacional n° 13.273/2007, na manhã desta quarta-feira (28), o secretário da Educação Anderson Gomes anunciou a apresentação do relatório com indicadores educacionais – relativos ao ano de 2011 – para o próximo dia 25 de abril. O encontro aconteceu no Plenarinho III da Assembleia Legislativa de Pernambuco, na Rua da União – Boa Vista.

 Estiveram presentes no encontro o deputado estadual e autor da Lei de Responsabilidade Educacional – Silvio Costa Filho (PTB), a presidente da Comissão da Educação e Cultura da Alepe – Teresa Leitão (PT), a assessora da reitoria da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) – Flávia Campos, a promotora do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) – Catarina Gusmão, os representantes do Sindicato dos Professores de Pernambuco (Sintepe) – Rita de Cássia e Jairo Cavalcanti, o diretor executivo da União dos Estudantes de Pernambuco (Uespe) – Cícero Nóbrega, e os deputados estaduais Ângelo Ferreira (PSB) e Adalto Santos (PSB).

 Há quatro anos sancionada pelo poder Executivo, as determinações da Lei ainda não estão sendo cumpridas em Pernambuco. O objetivo central é reunir, em um relatório anual, indicadores educacionais que apontem o desempenho de cada instituição de ensino da rede estadual. No documento também devem ser constadas metas para os quatro anos subsequentes.

 “Sabemos que a educação no Estado avançou nos últimos cinco anos, mas ainda há muito que ser feito. O acesso de alunos às escolas é maior, mas os números precisam ser qualitativos”, frisou Costa Filho.  O parlamentar acrescentou que na Câmara Federal dos Deputados existe o Projeto de Lei n° 7420/06 em tramitação há anos, de autoria de Raquel Teixeira (PSDB) e relatado por Raul Henry (PMDB), mas que ainda não obteve aprovação. “Pernambuco saiu na frente do País, o projeto foi aprovado por unanimidade dos 49 deputados da Casa. A Lei é pioneira, mas é preciso que saia do papel”.

De acordo com o secretário da Educação, o relatório de 2011 será entregue à Comissão de Educação e Cultura da Alepe no dia 25 de abril. “A Lei é muito importante e se alinha com a forma do governador Eduardo Campos de gerir o Estado. O momento educacional de Pernambuco está muito bom, estamos em constante crescimento em relação aos indicadores internos e externos. O importante é lembrar que não estamos estagnados”, disse Anderson Gomes. O secretário sugeriu incluir os indicadores do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) no relatório.

 Catarina Gusmão do MPPE destacou a importância de reformular a Lei com a inclusão do Plano Estadual da Educação, e também aproveitou o espaço para questionar o secretário sobre os métodos de contratação de professores atuais. “Por que estão investindo em contratos temporários ao invés de efetivar os professores concursados e capacitados para exercer tal função? Acaba-se gastando mais”, alertou.

 A promotora relevou a importância de investir na infraestrutura das escolas. “Há uma preocupação do governo de incluir a tecnologia nas escolas, com tablets e afins, mas antes disso as instituições precisam de instrumentos básicos, como a implantação de bibliotecas em toda rede até 2016, conforme lei federal”, lembrou.

 Já a deputada Teresa Leitão pontuou algumas modificações que podem ser feitas na Lei, como a inclusão de laboratórios de ciências em todas as escolas da rede estadual, de grêmios estudantis, de uma radiografia com o perfil social dos alunos, entre outras. “A Comissão de Educação e Cultura apresentará em breve um substitutivo à Lei atual, com as sugestões e observações feitas nesta audiência, e este passará a ter validade em 2013”. 



—–



LEI Nº 13.273, DE 05 DE JULHO DE 2007:


EMENTA: Estabelece normas voltadas para a Lei de Responsabilidade Educacional do Estado de Pernambuco.


O PRESIDENTE DA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE PERNAMBUCO:


Faço saber que tendo em vista o disposto nos §§ 6º e 8º do artigo 23, da Constituição do Estado, o Poder Legislativo decreta e eu promulgo a seguinte Lei:


Art. 1º O Secretário de Educação apresentará na Comissão de Educação da Assembléia Legislativa, relatório anual, contendo os indicadores educacionais até 120 (cento e vinte dias) dias após o término de cada ano letivo.


Parágrafo Único. Fica estabelecido que no caso do não cumprimento do disposto no art. 1º pelo administrador público, o mesmo incorrerá nas sanções em vigor previstas na Legislação administrativa, cível e penal.


Art. 2º Os indicadores educacionais que se refere o art. 1º a serem utilizados são:


I – Alfabetização:


a) Taxa de Analfabetismo da população com faixa etária entre 6 (seis) e 14 (quatorze anos) anos.


b) Taxa de analfabetismo da população com faixa etária entre 15 (quinze) e 18 (dezoito) anos.


c) Taxa de analfabetismo da população com faixa etária entre 19 (dezenove) e 24 (vinte e quatro) anos.


d) Taxa de analfabetismo da população com faixa etária a partir de 25 anos.


II – Matrícula e Evasão Escolar:


a) Número de alunos matriculados.


b) Índice de Evasão Escolar.


c) Número de vagas ociosas, por nível de escola.


III – Taxa de distorção idade-série:


a) Distorção idade-série dos alunos dos anos iniciais (1ª à 4ª série) do ensino fundamental.


b) Distorção idade-série dos alunos dos anos finais (5ª à 8ª série) do ensino fundamental.


c) Distorção idade-série dos alunos do ensino médio.


IV – Docentes:


a) Número total de professores.


b) Percentual de professores em contrato temporário.


c) Percentual de professores com pós-graduação “Lato Sensu”.


d) Percentual de professores com mestrado.


e) Percentual de professores com doutorado.


f) Remuneração média dos professores por nível de ensino.


V – Programas:


a) Indicar os Programas de Valorização e Capacitação Docente desenvolvidos para os professores da rede.


b) Indicar os Programas realizados em parceria com as iniciativas privada e pública.


V – Tempo de Estudo:


a) Anos de estudos da população.


VI – Rendimento Escolar:


a) Índice de Aprovação/Reprovação em razão do rendimento escolar.


b) Índice de Reprovação por faltas às atividades escolares.


VII – Infraestrutura:


a) Indicar o número total de escolas da Rede Pública de Ensino do Estado.


b) Indicar o total de escolas com necessidade de recuperação da rede física, de acordo com ospadrões básicos construtivos.


c) Indicar total de escolas recuperadas nas suas instalações físicas, de acordo com os padrões básicos construtivos.


d) Indicar as escolas com laboratório de informática.


e) Indicar as escolas com biblioteca


f) Indicar as escolas com quadras poliesportivas cobertas e descobertas.


Art. 3º Anualmente, a Lei que aprovar as diretrizes orçamentárias prevista no artigo 37, inciso XX, da Constituição do Estado de Pernambuco, deverá conter do anexo de metas educacionais para os próximos quatro anos, utilizando-se como parâmetro os indicadores descritos na presente Lei.


Art. 4º O Conselho Estadual de Educação encaminhará à Comissão de Educação da Assembléia Legislativa de Pernambuco relatório anual de suas atividades.


Art. 5º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.


Art. 6º Revogam-se as disposições em contrário.

por Jornal de Caruaru